Placa do Mercosul entrará em vigor em dezembro, mas Contran dá prazos diferentes para cada estado

Postando e atualizado: 30-11-18 às 18:46Hs
FONTE DA NOTÍCIA: G1
------------------------------------
redeesperanca
Veja como fica a situação para cada Detran. Até o último dia do ano, todos deverão ter adotado o novo padrão, que vale para primeiro emplacamento ou troca de município.

Resultado de imagem para placas do mercosul

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) anunciou nesta sexta-feira (30) que as placas padrão Mercosul para veículos começarão a valer agora em dezembro, mas não a partir do dia 1º, como dizia o prazo anterior. Agora, cada estado terá um prazo especifico. 

O Rio de Janeiro é o único estado que já estava emplacando, por isso passa a ter a obrigatoriedade de usar o novo padrão a partir desta segunda-feira (3). São Paulo, dono da maior frota do Brasil, deverá começar com as placas do Mercosul somente no último dia do ano. 

Veja os prazos para cada estado e o DF: 

Rio de Janeiro - até 3 dezembro

Amazonas, Espírito Santo, Goiás, Pernambuco e Rondônia - até 10 de dezembro

Bahia, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul - até 17 de dezembro

Acre, Alagoas, Maranhão, Paraná e Piauí - até 24 de dezembro

Amapá, Ceará, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Geras, Pará, Paraíba, Roraima, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins - 31 de dezembro

Quem precisa trocar

O novo padrão só precisa ser adotado para o primeiro emplacamento e, para quem tiver a placa antiga, no caso da troca de município ou propriedade.


Novo padrão de placas, já adotado no Rio de Janeiro, prevê combinação de 4 letras e 3 números — Foto: Karina Almeida e Claudia Peixoto/G1

'Novela'

Este é a quarta mudança no cronograma de adoção da placa do Mercosul no Brasil. O padrão já é usado na Argentina e no Uruguai. 

Ela foi anunciada em 2014, deveria ter entrado em vigor por aqui em janeiro de 2016, foi adiada para 2017 e depois por tempo indeterminado. 

Uma disputa judicial chegou a interromper a obrigatoriedade, mas o governo recorreu e retomou os emplacamentos. 

Os últimos capítulos envolveram uma autorização para a redução do tamanho caso as placas não se encaixem nos locais determinados nos veículos e a retirada dos símbolos de identificação de estado e município.




Comentários